Dolabella




AS PATENTES E O DESENVOLVIMENTO NACIONAL

Renato Dolabella


Nos 200 anos da implementação de sua legislação patentária, o Brasil encontra-se em posição discreta na lista de depósitos de pedidos de patentes, segundo números da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI). Apesar do aumento de 18% na quantidade de pedidos brasileiros depositados em outros países por meio do Patent Cooperation Treaty (PCT), na comparação entre 2008 e 2007, em números absolutos figuramos ainda em posição acanhada nesse ranking, atrás de Índia, Áustria e Singapura. Nas primeiras posições da classificação da OMPI estão países como os EUA, Japão e Alemanha.

Diante disso, é inevitável indagar como será o caminho que o Brasil deve seguir. Por que, mesmo com tanto história, o Brasil não está no topo dos rankings mundiais quando se trata de patentes? Quanto o País deixa de ganhar por não patentear mais?

 

 



Baixe o artigo na íntegra, clique aqui.

Voltar



Escritório

Atuação

Equipe

................................................................

Área Restrita
Login:


Senha: